BLOG
 
 
Dicas de defesa pessoal para pais e crianças
 

Nos dias atuais, neste nosso Brasil, precisamos tomar muito cuidado com tudo que fazemos e onde quer que estejamos.

Nos dias atuais, neste nosso Brasil, precisamos tomar muito cuidado com tudo que fazemos e onde quer que estejamos. Preste bem atenção nestas dicas. Servem para adultos orientaremseus filhos e crianças ficarem mais atentas:

Se você for a um lugar e não souber direito o caminho, peça orientação ao seu pai ou mãe. Se estiver perdido, fique próximo de um PM (Polícia Militar), pois eles podem ser facilmente identificados, já que usam uniformes.

Quando brincar na rua com um amiguinho, procure sempre ficar perto de casa. Peça a um adulto para olhar, enquanto vocês brincam.

Na ida e na volta da escola, procure sempre a companhia de um colega. Nunca aceite carona de estranhos, mesmo que você esteja cansado e ele seja bem simpático. Evite conversar com ele e avise para seus pais e professores.

Não aceite balas, doces ou qualquer coisa de uma pessoa que você não conhece. Bandidos costumam usar esta estratégia para pegar criança boba. Preste atenção no rosto da pessoa e na roupa que estiver vestindo e conte para seus pais e professores.

Se você é novinho demais e ainda não sabe nome completo, endereço, telefone e local onde seu pai ou sua mãe trabalha, procure aprender.

Nos dias de festa, peça a seus pais para manterem os portões fechados, pois há pessoas que querem entrar sem serem convidadas. Se um coleginha convidar você para sair escondido, não aceite e avise para seu pai ou sua mãe.

É importante você conhecer seu tipo de sangue e tirar sua Carteira de Identidade ou RG (Registro Geral), mesmo que você não tenha 18 anos.

 
 
 
 
 
  A IMPORTÂNCIA DA LEITURA INFANTIL PARA O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA
 
  Nosso herói está de volta.
 
  Dicas de defesa pessoal para pais e crianças
 
  Menino cientista de 1o anos descobre supernova
 
  Crianças a partir dos 3 anos têm habilidades matemática
 
 
 
 
 
Paulo
Rocha
 
Queria ser avô com uma idade boa para ser avô com saúde e disposição suficiente para passear com seus netos e netas para mostrar à eles o mundo sob uma perspectiva de quem já viveu o bastante para relevar a pressa a uma posição secundária na vida.